Amigos da A Professora Tia Lilian

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

João Alexandre canta para - Belém do Pará


Minha cidade natal completa 400 anos.
                Parabéns para nós!

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Bruno Catalano e seu "Le Grand Van Gogh"

Bruno  Catalano é um escultor de pessoas
 viajantes.  Assim como as pessoas que o
 inspiram ele também é um "Cidadão do
  mundo". As malas é uma marca sua. Elas
 são as bagagens que cada pessoa carrega, representando: suas histórias de vida, 
suas decepções, suas aspirações, suas
 lutas e  conquistas. E foi assim que 
criou o "Le Grand Van Gogh" em 2012. 




(Bronze, 70 x 20 cm)
Esse trabalho foi exposto no
Porto de Marselha em 2013. 
O escultor fotografado em seu estúdio.
Seu trabalho inicial é com argila.

Seu estúdio.
Galeria Bartoux.

Bruno Catalano trabalhando com bronze.

O escultor já expos: na França, Inglaterra,
China, Bélgica, Suíça e Estados  Unidos.

Abaixo apresento alguns de seus trabalhos
expostos na Place Villeneuve-Bargemon
em Marselha - Setembro de 2013









(Todas as fotografias são de seu site)
Você gostou? Eu amei!
Conheça mais seus trabalhos em seu site oficial
brunocatalano.com

sábado, 29 de agosto de 2015

Van Gogh fotografado aos 34 anos?

(Fotógrafo provável: Jules Antoine 
Crédito: Serge Plantureux) 
A fotografia é de um estilo popular realizado
no final dos anos 1800 e início  dos anos 1900,
feito em placa de metal (tintype ou melanotype).
A foto mede 8,8 X 11,9 centímetros 
e foi tirada em 1887.
Ela chegou às mãos do especialista em
fotografia, Serge Plantureux.
Foi leiloada em 19 de junho em Bruxelas.
(Detalhe da fotografia)
Van Gogh (provavelmente) em segundo plano e
 Paul Gauguin em primeiro plano sentados na
 Rua Blanche, 96, Paris, no sopé de Montmartre.
A foto mostra seis homens: na frente
 (esquerda)Émile Bernard e (direita) 
Paul Gauguin, atrás em segundo plano (da 
esquerda para a direita) Arnold Koning,
Van Gogh (provavelmente), André Antoine
e Félix Armand Jobbé-Duval.
(Foto: Kelly Costigliolo - Gli STATIGENERALI) 
Serge Plantureux, divulgou uma investigação
 sobre a foto de 112 páginas.
.     .     .
Deixemos que o tempo e as considerações
sobre a foto sejam reveladas.
De qualquer modo é muito
interessante.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

A Tecelã de arte Vangoghiana

O Quarto de Vincent em Arles
Arles: outubro de 1888
Museu Van Gogh
Amsterdam - Holanda - Europa
O Quarto de Vincent tecido em pontos
pela Professora Tia Lilian, 2014.
Janela aberta para Belém do Pará.

"Tempo de chorar"

Hoje é tempo de ...
lembrar dos girassóis.
Hoje é tempo de ...
lembrar daqueles que amamos e
que já partiram.
Hoje é tempo de ...
saudades.
Hoje é tempo de ...
pararmos e pensarmos que somos
limitados, frágeis, (algumas vezes) impotentes
quanto a decidir questões sérias
de nossas vidas.
Hoje é tempo de ...
nos olharmos no espelho e dizermos:
sou único.
Hoje é tempo de ...
compartilharmos nossas lágrimas
com dores maiores que as nossas.
Hoje é tempo de ...
proclamarmos: Não, você
não será esquecido.
Hoje é tempo de ...
aproveitarmos nossas preciosas lágrimas
e chorarmos por nossas dores também.
Hoje é tempo de ...
vermos beleza e bondade no outro.
Hoje é tempo de ...
universalizarmos o amor pela arte.
Hoje é tempo de ...
lembrarmos que temos um coração.
Hoje é tempo ... hoje é
tempo de Van Gogh.

(Texto: A Professora Tia Lilian)
O funeral de Van Gogh por Émile Bernard.
O pintor frânces que retratou esse triste
momento de seu amigo, só o fez em 1893.
Revelando assim a marca forte de amizade e
saudade que ficou registrada em sua retina.

(Foto: Instituto Van Gogh)
Foto das tumbas de Vincent e Théo van Gogh
estampada ontem no New York Times
em homenagem aos 125 anos de morte
de Vincent.
(Foto do site:
DAGBLAD  van het NOORDEN)

Descansa,Vincent. Descansa.



"Irmãos, não queremos que vocês sejam ignorantes quanto aos que dormem, para que não se entristeçam como os outros que não têm esperança.
Se cremos que Jesus morreu e ressurgiu, cremos também que Deus trará, mediante Jesus e com ele, aqueles que nele dormiram".
  (1 Tessalonicenses 4: 13,14)

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Publicar é preciso

Um sonho regado a textos e pintura.
Compartilhado com minha irmã, 
a escritora também paraense, 
Luzia da Silva Almeida.
O livro está pronto para ser
 publicado. 
Seja um colaborador.
Invista em nosso projeto.

Meu primeiro trabalho premiado faz
parte de uma coletânea. 
Certificado de minha crônica premiada.
Primeiro livro de minha irmã.
Lançado em 2011
Segundo livro de minha irmã.
Lançado em 2013
Eu e minha irmã, Luzia Almeida no 
lançamento dos Inesquecíveis na
Academia Paraense de Letras.
Luzia da Silva Almeida faz dedicatória 
dos Inesquecíveis para mim.
Quem quiser colaborar com a realização 
desse sonho envie e-mail para:
aprofessoratialilian@yahoo.com.br

terça-feira, 31 de março de 2015

Soneto

(Montagem: A Professora Tia Lilian)

Soneto

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
muda-se o ser, muda-se a confiança;
todo o mundo é composto de mudança,
tomando sempre novas qualidades.


Continuamente vemos novidades,
diferentes em tudo da esperança;
do mal ficam as mágoas na lembrança,
e do bem (se algum houve), as saudades.


 O tempo cobre o chão de verde manto,
que já coberto foi de neve fria,
e, enfim, converte em choro o doce canto.


E, afora este mudar-se cada dia,
outra mudança faz de mor espanto,
que não se muda já como soía.

(Soneto de autoria de Camões)

(Camões por Fernão Gomes ou
Hernán Gómez Román)

Luís Vaz de Camões
Nascido em Lisboa: cerca de 1524
Falecido em Lisboa: 10 de junho de 1580

Bandeira de Lisboa 
Brasão de Lisboa
Bandeira de Portugal
Brasão de Portugal

Soneto é uma composição poética 
de 14 versos, em geral rimados e dispostos 
em quatro estrofes, duas de quatro e duas
de três versos.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Letras, Arte ... Momentos

Poema para um final de mês
 
"Força de vontade"
 
(Tradução: Ana Maria Carvalho)
 

Força de vontade. Coragem. Perseverança
Quantas vezes prometemos a nós próprios,
até ficarmos ridículos, profundamente ridículos,
até sentirmos o remorso cobrir-nos

de suores frios
e o eu dentro de nós transformar-se num novelo,
tentando em vão enganar-nos.

Quando afinal à nossa volta nenhuma
força de vontade, nenhuma perseverança
faz brotar os jacintos de dentro dos bulbos,
a cabeça repousar na almofada
o corpo abandonar-se à dor
se tiver de ser. Espera, talvez passe.
Força de vontade, coragem, perseverança, coitadas.
 
A autora deste poema é a
escritora holandesa
Judith  Frieda Lina Herzberg
Nascida: 4 de novembro de 1934
em
 
Poetisa, dramaturga e escritora,muito
premiada, de vários livros.
 Considerada uma das vozes mais 
 representativas da
poesia contemporânea  europeia.
 
Entre suas muitas publicações
encontramos...

Zeepost publicado em 1963
Seu primeiro livro
 
27 canções de amor
Publicado em 1971
 
 Publicado em 1987
 
Publicado em 2008
 
 Publicado em 2008
(Trad. Ana Maria Carvalho)
 
Publicado em 2011
 
Publicado em 2013
 
*          *          *

"...Nunca ninguém tem a certeza de nada,
de ser amado, de ser abandonado
tudo é possível e tudo é permitido
tudo sucede em alternância..."
(Fragmento do poema "Coragem"
de Judith Herzberg)